É na menopausa que as mulheres se deparam com as mais diversas mudanças no corpo, entre os sintomas mais comuns estão as ondas de calor, suores noturnos, insônia, aumento da ansiedade e irritabilidade. O que a maioria das pessoas não sabe é que além desses efeitos, podem ocorrer alguns problemas relacionados à visão, como síndrome do olho seco, sensibilidade à luz e coceira nos olhos. Isso ocorre devido às mudanças hormonais que alteram o filme lacrimal.

A menopausa aumenta o risco de catarata, doença que torna o cristalino turvo e responde por 47% dos casos de cegueira no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Esta é a conclusão de uma metanálise feita pelo oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, que revisou 16 estudos realizados entre 1992 e 2007 sobre os efeitos da TRH (Terapia de Reposição Hormonal) na saúde da mulher.

O especialista explica que a menopausa precoce predispõe à catarata prematura porque o epitélio (camada externa) do cristalino tem receptores de estrogênio capazes de inibir proteínas chamadas de fatores de crescimento, como o TGF-beta, que induzem à doença.

A estimativa é de que 3% da população feminina tenham menopausa precoce, enquanto dados da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia apontam que 10% das mulheres de até 40 anos têm disfunções da tireoide, na maioria dos casos provocadas pelo consumo de sal acima das 6 gramas diárias (dose recomendada pela OMS).

Dicas de prevenção

  • Retirar o saleiro da mesa;
  • Substituir embutidos por carnes frescas;
  • Evitar sopas e temperos industrializados que contenham sal;
  • Reduzir o consumo de sal para 5 gramas/dia após os 50 anos.

 

Fonte: SEGS

Deixe seu comentário